Autor: José Gomes

Reduflação
O que é reduflação e qual o seu impacto no consumo?

A reduflação é o processo em que os produtos diminuem de tamanho ou quantidade, enquanto que o seu preço se mantém inalterado ou aumenta. Este efeito é uma consequência do aumento do nível geral dos preços dos bens, manifestado por unidade de peso ou volume, causado por inúmeros fatores, principalmente a perda do poder aquisitivo da moeda e a queda do poder de compra dos consumidores.

O cenário inflacionário recente impulsionou a indústria a se ‘readequar’ ao bolso do consumidor, reduzindo suas embalagens para evitar maiores repasses de preços, gerando a chamada “reduflação” de embalagens, em categorias como sabão em pó, biscoitos, achocolatados, dentre outros.

Em entrevista para a coluna Painel S.A. da Folha de São Paulo, Luiza Zacharias, diretora de novos negócios da Horus, comentou que o cenário econômico continua impactando o consumo no varejo. 

Dados mais recentes da Horus Inteligência, apontam que o tíquete médio subiu, mas o número de produtos no carrinho não acompanhou

Isso é reflexo da inflação. E depois que chega a um determinado ponto, mesmo que venha deflação ou desaceleração, é difícil voltar ao patamar normal. O consumidor se acostuma, e o preço final acaba ficando um pouco acima. Veja o leite, que dobrou de preço e começou a baixar, mas não volta ao nível anterior Luiza Zacharias

Leia a matéria completa aqui.

A Horus traz uma visão 360º do consumo, para a indústria, varejo e shopper por meio da análise de dados e inteligência de mercado que contribuem para um melhor planejamento estratégico e melhor tomada decisão, clique aqui e saiba mais.

 

Ovo
Ovo de galinha é o único item que aumentou de preço em todas as capitais

Um novo levantamento sobre cesta básica, feito pela empresa de inteligência Horus em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia (IBRE/FGV), mostra que o único item que aumentou de preço em todas as capitais pesquisadas foi o ovo. Na média, a dúzia de ovos brancos passou de R$ 10,49 em janeiro, para R$ 11,43 em fevereiro. Ainda assim, o produto já está em falta em alguns mercados.

A maior inflação foi registrada em Fortaleza (CE), onde o preço subiu 4,7%. Em seguida, aparecem São Paulo (SP), com 4,1%, Belo Horizonte (MG), com 3,0%, e Brasília (DF), com 2,9%. Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Salvador (BA) e Manaus (AM) fecham a lista com menos de 2% de aumento.

Dados da Neogrid, empresa de software para gestão de suprimentos, mostram ainda que está faltando ovo nas prateleiras do supermercado. O chamado índice de ruptura — medido com base nas vezes em que um item faltou no estoque — chegou a 16% em fevereiro, contra 14,5% em janeiro. A taxa média do ano passado foi de 13,9%.

Para ler a matéria na íntegra clique aqui.